Meu perfil
BRASIL, Sudeste, ITARARE, Planeta Cerveja Boêmica, Homem, de 46 a 55 anos, Portuguese, Spanish, Livros, Esportes, Ler e escrever



Arquivos

Votação
 Dê uma nota para meu blog

Outros links
 Blogue Artistas de Itararé, Cidade Poema
 Site do autor, em Itararé-SP
 Blogue do Autor de Campo de Trigo Com Corvos




Blog de Campo de Trigo Com Corvos (Livro de Contos de Silas Correa Leite)
 


A LENDA DO RIO PROFUNDO - A Lenda do Rio Itararé


O nome do nosso município é de origem Tupi-Guarani e significa "pedra que o rio cavou" ou ainda, "Curso subterrâneo de um rio através das rochas" e, refere-se ao longo e sinuoso caminho que o rio Itararé percorre por entre as pedras. Várias lendas indígenas tentam explicar, dentro da riqueza de seu folclore, o porquê do nome Itararé.

Uma delas diz respeito ao amor de Taiguara pela jovem de nome Uariri. Taiguara, o bravo guerreiro da tribo Guanhanás, enamorou-se perdidamente de Uariri, a mais bela jovem de toda a nação Tupi e como prova de seu amor, mergulhava diariamente, nas águas de um tranqüilo rio que margeava os seus campos, à procura de lindas pedrinhas douradas que encantavam tanto sua amada.

Um dia, em um de seus mergulhos, o valente guerreiro chocou-se com as pedras ponteagudas escondidas pelas águas e não mais voltou. O vermelho de seu sanque tingiu a transparência do rio e, Uariri, desesperada com o acontecimento, também atirou-se no rio, desaparecendo para sempre.

Durante a noite, enquanto os índios enchiam os campos com seus lamentos, Uirapuru (deus dos pássaros) levou até Tupã (deus do trovão) a triste notícia e este, irado, resolveu vingar-se do rio. Ouviu-se um estrondo e a terra tremeu. Jacy, (a Lua), apavorada escondeu -se por entre as nuvens negras, enquanto a terra se abria e as águas refugiavam-se por entre as pedras, os índios atiravam-se ao chão, com medo da ira de Tupã, gritando em uníssono: " Ïtararé!"- tentando explicar ao exaltado deus, que o rio já se escondera em meio às rochas.

E ao redor das fogueiras, durante anos e anos, os anciãos contaram aos seus descendentes, a vergonha e o medo do rio que, por ter levado consigo os jovens Taiguara e Uariri, cavou caminho por entre as pedras e de lá não mais saiu.

 

(folclore)



Escrito por zanzes às 15h11
[] [envie esta mensagem
] []





Calendário de Itararé

 

-No meu Calendário, na minha Folhinha

Que marcam e agendam o meu dia-a-dia

Eu vivo de sonhar... e fazendo poesia...

De estar na minha gloriosa “Itararezinha”...

 

-É sábado... é domingo... é feriado

Em que eu me preparo para embarcar

Itararé lá está na rabeira do estado

É a minha caipira Hollywood particular...

 

-Em Itararé eu me sinto em mim mesmo

Dentro do meu próprio encantário até

Porque no meu belo paraíso, Itararé

Bolinho de Piruá, dolé, pão de torresmo...

 

-Entra dia, sai dia, e eu me projeto

Estar na minha aldeia, meu rincão

Lá na minha terra plantei meu coração

E sempre a sonhar que estou lá, poeto...

 

-Vou marcando um xis no calendário

A sexta, a segunda – as benditas férias

Entre boêmios, em casa; as pilhérias

Minha estância boêmia é meu encantário...

 

-Os amigos todos sabem quando vou viajar

E ficam me vendo alumbrado, sacando

E então notam os meus olhos brilhando

Para os braços de Itararé eu vou voltar...

 

-Até poder, finalmente, um bendito dia

Aposentado, bem de vida, vencedor

Definitivamente ir para Itararé, meu amor

Com a alma encharcada de luz e poesia!

-0-

Silas Correa Leite – Poema Escrito em Samparaguai

Site: www.portas-lapsos.zip.net

E-mail: poesilas@terra.com.br

www.artistasdeitarare.blogspot.com/

 



Escrito por zanzes às 11h37
[] [envie esta mensagem
] []



 
  [ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]